Cinema Cursos e Palestras Exposições Eventos Diversos Cineclube Festas Música Teatro
Aonde Vamos
Aconteceu
Aonde VamosTV(video)
Arquitetura
Beleza
Bem-Estar
Ciência & Tecnologia
Cultura
Educação
Entrevistas
Esporte
Esporte Já(video)
Eventos
Gastronomia
Lazer
Moda
Negócios
Opinião
Promoção
Saúde
Serviços
Turismo
História
Contato
Fórum
Cadastre-se

Analândia
 




Analândia

Passeios Turísticos em Analândia



Plena de lugares que favorecem a proximidade com a natureza, cada dia mais procurada pelas pessoas, a Estância Climática de Analândia, que começou com o nome de Cuscuzeiro pela forma característica do pico que marca a sua paisagem, próximo da cidade, reserva para seus turistas um espaço e um tempo que provocam a reflexão. A paz do cotidiano dessa cidade que um dia também se chamou Anápolis, porque sua padroeira é Sant’Ana, contribui para ampliar a percepção de outras formas possíveis de se viver, justificando muitas vezes a fama de lugar “mágico” que tem. Quando Anápolis, Analândia alcançou notoriedade nacional e internacional pelo excelente café que produzia e exportava.

Você encontra aqui os principais passeios de Analândia e logo abaixo as fotos.
 

Antiga estação ferroviária
 

 Parece impossível que, em pleno século XXI, ainda possa existir, a apenas 225 km da capital paulista, natureza tão preservada, tantas quedas d'água incrivelmente puras e tantas paisagens de tirar o fôlego. Esses verdadeiros "monumentos" naturais de indiscutível beleza e pureza conferem à Analândia vocação muito forte para o turismo rural e ecológico, que a estância vem desenvolvendo com a mesma paixão de tantos outros lugares em todas as partes do mundo.
 

Mãe das Águas 

O incontável número de pequenas nascentes que o município abriga, nos reserva grata surpresa. Poucos outros lugares dispõem de tamanha concentração de nascedouros de água ainda limpa. Importantes bacias regionais se iniciam dentro de Analândia, como a Bacia do Corumbataí, do Feijão, do Pântano, do Descaroçador, entre muitas outras. Um verdadeiro tesouro espalhado por aqui.

Na Terra, 97% da água é salgada, formando os oceanos e mares, 2 % está congelada nos pólos. Apenas 1% é o que sobra de água doce para o consumo humano e dos demais seres vivos terrestres. Como grande parte desse 1% já está poluída ou contaminada, podemos perceber o valor inestimável dessas centenas de nascentes de água - ainda puras - para Analândia e para os outros municípios que dela também se servem.

Salto Major Levy e Saltinho

Salto formado por queda d’água de 25 metros, localizada no Rio Corumbataí, na entrada da cidade, o Salto Major Levy também é considerado um dos "Cartões de Visita da Cidade". Logo acima outra pequena queda d'água, o Saltinho, também encanta os observadores por sua beleza e transmitir tranqüilidade. No local existe um Restaurante-Churrascaria com toda infra-estrutura e uma área para observação.
 
 Projeto Pedra Viva

O Projeto Pedra Viva, consiste no desenvolvimento de uma área junto ao morro do Cuscuzeiro (marco e Cartão Postal da Cidade), pedra internacionalmente conhecida pelos praticantes de montanhísmo e escalada; com sua principal finalidade em preservar e conservar o local, mantendo e procurando melhorar as condições das paisagens bem como o eco-sistema daquela região. Hoje o local oferece uma lanchonete, restaurante, área para camping e uma base para a prática do arborísmo com 12 bases e duas tirolesas com 250 metros de extensão.


 Cachoeira da Bocaina

A cachoeira da Bocaina está localizada próxima de Analândia por estrada de terra que sobe a Serra do Cuscuzeiro.

Queda de 45m com piscina natural, e está imersa no meio da mata, para chegar até sua queda, existe uma trilha de mais ou menos 15 minutos até embaixo. Muito procurada para a prática de rapel e cascading.
 

Cachoeira da Bocaina
 
Grande Canyon Bocaina

É um enorme Canyon , com paredes verticais de arenito vermelho a negro , localizado na cachoeira Bocaina. O visitante com tempo poderá localizar pinturar rupestres nesses paredões.
 Cachoeira do Canyon do Feijão

Seu acesso é difícil (poucas pessoas chegam até ela), percorre-se o canyon junto as paredes rochosas do lado direito, para então entrar em uma trilha na mata e chegar à cachoeira. Sua queda tem cerca de 30m e a água cai sem tocar a rocha, formando um gigantesco chuveiro. A trilha também pode ser feita de "mountain bike".
 
Cachoeira da Pedra Vermelha

Esta cachoeira está no fundo do canyon da Fazenda Pedra Vermelha. A caminhada segue pela mata em direção ao fundo do vale, de onde um pequeno riacho cai em queda livre a alguns metros do paredão rochoso.
 
 
Fonte da Saúde

Recanto da Saúde, ou popularmente conhecido como parque da Caixa D’água. Parque municipal que oferece em sua infra-estrutura, uma piscina, lago, quadras de areia, um palco para shows, restaurante/lanchonete, bosques, área para camping, mesas e churrasqueiras para piquenique, e a fonte de água de São Francisco, popularmente recomendada para quem sofre de diabetes, muito procurado e movimentada durante o verão.
 
Fazenda São Francisco: Pesque e Pague e Turismo Ecológico

 De fácil acesso, a Fazenda São Francisco fica a 1,5  km da Praça da Matriz, através da Av. 3, oferece tanques para pescaria (Pesque e Pague), passeios por trilhas e cavalgada na mata da propriedade, uma lanchonete e restaurante rural, instalado em um quiosque onde o visitante poderá saborear (comer e beber) peixe e produtos da fazenda. Em 2004 inicia-se no ramo de Pousada, oferecendo 04 apartamentos.

 Fazenda Pedra Vermelha

A Fazenda possui construções do meio do século XIX, feitas com blocos de rocha por pedreiros portugueses. Existe na propriedade uma replica de uma oca indígena, da tribo dos Curutus, construída em alvenaria.
 
 
Pousada Inglesa

Situada no quilômetro 65,7 da rodovia Analândia-Pirassununga, foi cenário de grandes plantações de café. A parte hoteleira além de uma agradável decoração, traz muita história em suas paredes. Fica em uma área de 1,7  milhões de m2,  distribuído entre canaviais,  pastagens,  reflorestamento, mata ciliar de preservação permanente, agricultura, lagos etc. Muita  mata nativa com uma infinidade de pássaros, alguns animais silvestres, quais aparecem de vez em quando.
 

Natureza Forte e Imponente

A natureza teve especial capricho com Analândia. A Pedra do Cuscuzeiro - cartão postal da cidade - dá uma idéia ao visitante do que encontrará por aqui: uma natureza imponente, amplas vistas e momentos de infinita contemplação.

Além disso, quilômetros de paredes verticais atraem escaladores das mais diversas partes do Brasil, todo final de semana. A região é também freqüentada por praticantes de canyoning, arvorismo, bóia-cross, mountain bike, exploração de cavernas, vôo livre, cavalgadas e caminhadas, modalidades de grande potencial a ser explorado e desenvolvido.
 

Turismo e Preservação: A Busca de um Modelo Sustentável

 Também o Morro do Camelo, o Mirante da Vista, a Cachoeira do Bocaina e centenas de outros lugares propiciam a proximidade com a natureza, cada dia mais e mais procurada pelas pessoas das grandes cidades que buscam suas origens mais distantes, e tentam chegar à percepção mais completa de si próprio e do que é ser humano.

 Outra atração turística é o contato e confronto dos visitantes com a cultura local. Extremamente desejável, esse contato amplia a percepção das pessoas para a existência de outras formas de viver. Através dessas observações, eles podem perceber os vícios e problemas de sua própria cultura e assim adquirir novos pontos de vista sobre a sua própria existência, sobre sua cultura e sobre sua qualidade de vida. Assim, os grandes desafios para Analândia, neste fim de século, são preservar seus recursos naturais, promover a educação ambiental de forma ampla e desenvolver o turismo ecológico como boa alternativa econômica.
 

Morro do Camelo

O Morro do Camelo é uma elevação rochosa que lembra um camelo deitado devido a sua forma que forma duas corcovas, está em frente a Pedra do Cuscuzeiro. Pode-se escalar sem a necessidade de equipamentos, seu topo pode ser atingido a pé, através de trilhas. Em um de seus lados pode-se praticar o "Tobograma", uma modalidade de esqui na grama, 'inventada" por crianças da cidade que desciam o morro sentados ou em pé sobre pranchas de madeirite e até caixas de papelão. Das "corcovas" do Camelo avista-se toda a cidade de Analândia, o Cuscuzeiro, o Morro do Capitão Brasil e toda a planície ao fundo do vale. Em dias claros ou a noite é possível visualizar as vizinhas cidades de Corumbataí e Rio Claro. O "Camelo" é ideal para meditações, apreciação da cidade e curtir todo o contato com a natureza.
 

Pedra do Cuscuzeiro
 
 O Cuscuzeiro é a pedra que se impõe por trás da área urbana de Analândia. A marca e o Cartão Postal da cidade. É uma elevação rochosa em forma de um enorme cuscuz, deu origem ao primeiro nome do Município. O acesso ao seu cume só pode ser feito através de escalada com equipamento, por isso é muito procurado por montanhistas e escaladores amadores e profissionais. Observando a pedra se pode ver vários rostos. 
  

Parque Ecológico Municipal "Dr. Ney Galvão da Silva"
 

Piscina Natural na Ponte Amarela
 
Reserva ecológica com uma área de 15.000m2, a cinco minutos do centro da cidade, ideal para caminhadas, onde o visitante pode contemplar várias espécies da vegetação nativa, preservada, 100% identificada e catalogada por especialistas da UNESP- Rio Claro. Além disso poderá compartilhar da agradável compania do curso d’água sobre rochas, do córrego da Olaria, que oferece ao visitante, logo na entrada do parque, uma corredeira muito bonita, e uma piscina natural ideal para banhos de sol e meditação.
 

Igreja Matriz de Sant’Ana

Cuja pedra fundamental foi lançada em 23 de outubro de 1887. Está localizada na praça dos expedicionários e guarda além da sua arquitetura original, belas imagens sacras. 
Padroeira da cidade, imagem centenária em madeira doada pelos fundadores do município, exposta em seu nicho na Igreja Matriz em sua homenagem.
 

Coreto tradicional, testemunha de muitos concertos da "Lira" analandense, das valsinhas, marchas e dobrados que em algum tempo embalou muitos namorados.
 
 Antiga Estação Ferroviária – "Annápolis"

Antiga estação ferroviária da Cia. Paulista de Estrada de Ferro, adquirida e restaurada por particulares, mantém em seu pátio um vagão original de Maria Fumaça (que circulava no ramal) e a Casa do Chefe da Estação. Vale a pena pela história, mas os proprietários  mantém o portão fechado.
 

 Prédio da Cadeia Pública

Arquitetura colonial. Construído em 1908 ainda mantém seus traços da arquitetura daquela época. É uma das construçoes mais antigas da cidade, depois da Igreja Matriz. Funcionou como delegacia e cadeia  até 1989. Em 2003 voltou a funcionar como delegacia de polícia após uma reforma que preservou a sua arquitetura original.
 

 

 
































Os artigos assinados ou enviados por colaboradores são de sua inteira responsabilidade, não correspondendo necessariamente à opinião do Portal Aonde Vamos.


PUBLICIDADE